30 de setembro de 2007

BALA DE OTÁRIO
Há tempos o Luís Henrique me azucrinava
sobre um jogo de game chamado GTA.
— É massa, pai! Aquilo que é ação, aquilo
que é estratégica, todo mundo do colégio só
fala em GTA, GTA, GTA...

Pois bem, a gente foi lá conferir e eu
fiquei altamente pasmo.

vejam só:
Depois de escolher um vagabundo (sim, vagabundo!)
você tem como objetivo simplesmente sair nas ruas

espancando tudo o que ver pela frente,
desde patricinhas fazendo cooper a velhinhos desavisados.
Isso, enquanto um carro é tomado de assalto aqui,
uma moto é tomada acolá, e a polícia metendo
bala no rastro...
Pra molecada de hoje isso é tão natural quanto
pagar meia hora de lan house pra ter acesso a
a Sexy do mês ou a boquinha da Eliana cantando
"vai tomar no cu!".

**
Pois bem!
Aí você retoma o fôlego, repara ao redor, olha pro lado e
vem um filme bosta como TROPA DE ELITE querendo

mostrar o que realmente é violento hoje em dia.

vejam só:
Treinados pra servir como plano B toda vez que
a elite militar derrapa na favela, o BOPE tem de longe
a sua fama de azeda, tal e qual aquelas pestes que
cagam e batizam em Brasília.
Sabemos ou não sabemos nesse país onde está
a corrupção???
E mesmo assim continuamos cagando,
andando e respirando todo dia.

E é aí que entra o facismo, o cinísmo e a cara de pau
de TROPA DE ELITE, feito apenas e simplesmente
pra sensibilizar aquela besta mãe que tem filho polícial,
no qual ela jura de pé junto que o bichinho é composto
de uma alma generosa que serve honestamente
a sociedade.
Enquanto os palavrões comem solto
(caralho! Pra ser um filme nacional precisa dessa
apelação toda???), a tática de guerrilha vai sendo mostrada
tim tim por tim tim.

Bom, o que não aparece é o tal caveirão,
veículo singelo que o BOPE usa pra invadir
arrogantemente o morro NA VIDA REAL.
Brilhante forma que o diretor Padilha usou pra amenizar seu foco.
Ah, quer dizer que então nem tudo é mostrado ali???
***
De quebra, exército perde é feio
com tanta artimanha que existe pra quem quer
ser do BOPE - uma peneira fila da puta que sai
liquidando todos os desonestos e restando apenas
os leais. Arrãm...
— Nossa, você pergunta, tudo isso pra invadir
uma favela?
Sim, afinal, é sempre na favela que se concentra
toda a mazela, não é? O que pra um milhão de pessoas
em um país burro, dizer isso já se tornou balela.

**
Bem,
Chutar porta de barraco é fácil, broder!

Eu quero ver invadir as grandes mansões e os
luxuosos apartamentos com vista pro mar...
alí sim, a praga da cocaína rola de tonelada!
****

17 comentários:

WDS disse...

Muito oportunista o comentário, e o mais foda ainda é o lance da playboizada que assiste e vem com akele comentário ridículo - Pow o Olavo da novela é mesmo (Wagner Moura) um excelente ator - puta q pariu, o povo vê o filme e parece q não é atingido nem de raspão por algum sentimento de revolta ou forçado a pensar mais alem do próprio umbigo, e ainda acreditam q os rapazinhos do Bope são os cavaleiros do bem no Brasil. Arg dá eca de Aurim.

SILVIO CÉSAR disse...

Discordo, amigos.
Tanto o BOPE quanto o tráfico servem aos mandantes do pais. Ambos são necessários para manter a máquina de fazer dinheiro do Estado funcionando. Se inocentes morrem no caminho, não importa para eles. É só estatística. Existe uma guerra civil no Brasil há muito tempo. Mas essa guerra carece de principios ideológicos. É uma guerra civil comercial simplesmente.
Esse filme é legal no sentido que mostra a escrotidão do mundo e a nossa completa insensibilidade quanto a isso. Ficamos com aquela sensação do tipo "ah, ainda bem que isso não nunca vai acontecer comigo". Esse sentimento é ruim? Sim, é. Mas não torna o filme ruim porque é uma obra cinematográfica bem feita, convenhamos. Não foi um marco na história do cinema, mas como entretenimento - e aí que reside o incômodo de muito de vocês - o filme serve ao seu propósito.

Zé disse...

Parabéns Guabira. Você foi muito feliz no seu comentário.

Anônimo disse...

Ambos são nscessários pra manter a máquina do estado, ok!
Isso nos sabiamos, bsabiamos e sabemos também que
de longe o filme não mostra realmente tudo.
Se a policia mata, o trafico mata, é como dizem realmente, tudo vira estatistica...
o filme é facista sim. pois delata apenas a parte maior da miseria, que é a favela (quem não tem amigos na favela???), e quanto aos policias, só atingem eles de raspão, com denuncias água com açúcar do tipo
"roubaram o motor das viaturas" ou "a própria polícia vende armas pros traficantes"...
Ah... isso nós já sabiamos!!!


Carol

Anônimo disse...

não vi o filme, mas ficar pagando de santinho praqueles "pobres coitados", tomar no cú!
Seria bom que a polícia não precisasse do caveirão, nem tampouco invadir as favelas. Como também seria bom que não se importasse drogas e armas do exterior.
Imagino que o filme não diga que o Bope é a solução para o Brasil, mas depois de tanto filme elogiando os marginais (Cidade de Deus, Carandiru), demorou pra surgir um extremo oposto.
Sobre o fenômeno do filme, sou da opinião do Arnaldo Branco: Mais filmes extremistas, menos filmes inócuos.

jefferson portela disse...

ei baitola, liga pra mim! senao mando o bope atras de tu!

Francisco José Sousa Cunha disse...

...lendo estes comentários percebe-se que a classe média, do cursinho de inglês, da moda anti-bush, de barriga cheia e aparelho nos dentes continua com uma visão mais cinematográfica que realista do mundo do crime, onde os bandidos são "do bem" (expressão paia), injustiçados, vitimas do capitalismo selvagem (do sistema, estado, esses papo furado aí...) e a polícia é o fascista, reacionária, inimigo etc. Nasci, cresci e sobrevivi ao mundo do crime. Descobri cedo que o ser humano, independente da camada social em que se encontre, é um bicho seduzido pelo poder de comandar, explorar, oprimir, condenar... Quem nasce na favela é oprimido duas vezes, pelos ricos e poderosos e pelos pobres com poder. Vi muitos amigos de infância seduzidos por este poder fácil do crime e do tráfico tombarem crivados de bala, esfaqueados, esmagados seja pela policia ou pela concorrência. Não existe o "bem" quando o caminho é a violência. É preciso viver o crime, para falar sobre o crime. E eu estive lá, sei o que é morte, dor, angustia, abandono, revolta, choro, velório, rabecão... e recomendo que vocês reflitam antes de escrever, opinarem sobre aquilo que não experimentaram, vivenciaram. Vocês podem estar cultivando uma cultura, um monstro que se alimenta de gente ir responsável como vocês e inocentes que serão seus filhos. Não misturem cinema, música, historias em quadrinhos com o monstro real da violência. Eu digo NÃO a toda forma de violência.

Anônimo disse...

caralho, vc copiou o comentario desse outro trouxa http://talktohimselfshow.zip.net ?
tem q matar esses filhos da puta mesmo, o problema é que morre um e nasce dois...

Anônimo disse...

concordo com o francisco. vamos parar de falar em violencia.

Anônimo disse...

RESUMINDO:
SE TROPA DE ELITE É UM FILME QUE NÃO MOSTRA REALMENTE TUDO ENTÃO ELE É FACISTA! MENTIROSO, HIPÓCRITA... VAGABUNDO MERECE BALA, VAGABUNDO É A ESCÓRIA DA FAVELA, A DOENÇA DA SOCIEDADE, MAS ANTES DO TRÁFICO E AS ARMAS CHEGAR NAS MÃOS DELES, TUDO PASSA PELO PODER DOS RICOS. A MAIORIA DAS OPINIÕES QUE DESCARTAM TROPA DE ELITE QUEREM DIZER ISSO.NÃO HÁ VIOLÊNCIA NAS FAVELAS SEM O APOIO DOS GRANDES...

Anônimo disse...

resumindo é meu pau na tua bunda fela!

Mungu disse...

esses baitolas ficam tudo cacarejando porque a porra do caveirão não aparesse no filme! esses viados de traficante merecem é chumbo mesmo! E o garoto que foi arrastado porra?! e o yuca baterista do rapa, uma porrada de inocente que morreu vitima desses vagabundos do tráfico?! bandido bom é bandido morto! é faca na caveira porra!

Anônimo disse...

FACA NO TEU CU, FILHA DA PUTA PLAYBOY

Anônimo disse...

PQ VOCES NÃO VÃO TUDO DÁ O CU????

ISABELLE!

Mungu disse...

isso é papo de quem passa o dia todo coçando o cu! e playboy é a cabeça do meu pau no cu da mãe de vocês seus fela da puta sustentados pelos pais! quando vagabundo bota o ferro na cabeça de vocês pra tomar celular de 700 contos, no mesmo instante chamam paipai e mamãe! vão trabalhar bando de parasita dos pais! uauauauauauaua!

Zé disse...

o que era para ser um debate edificante se tornou baixaria pura, de ambas as partes.

Luciana Lyra disse...

Concorde em gênero, número e grau com a crítica....quero ver os heròis da última hora invadir os apartamentos luxuosos rsrsrs...ótimo comentáio mesmo!!