25 de julho de 2008

MATARAM ou não MATARAM LAMPIÃO?!
Domingo último (20 de julho/2008),
o Jornal O POVO publicou um caderno especial
sobre os 70 anos da morte do maior de todos
os cangaceiros: Vírgulino Lampião.
Na empreitada, o repórter do Vida&Arte
Pedro Rocha viajou pelo sertão catando
informações (atuais e precisas), incluíndo
a Grota de Angicos, na qual Lampião
tombou no dia 28 de julho de 1938,
com Maria Bonita e mais 9 cangaceiros.
Na página central do caderno,
fiz com enorme satisfação
- e até poque estou realmente no pique -
um puta infográfico mostrando o passo a passo
desse massacre, com direito a todos os precisos detalhes.

Fotos da exposição CANGACEIROS, que ainda
está em cartaz até 03 de agosto no
contribuiram para uma perfeição mais ousada.

O projeto gráfico ficou por conta da Andrea Araujo,
que usou texturas de couro e recortes dos muitos emblemas
que enfeitavam os ornamentos do cangaço.
Acho que nunca um trampo me cativou tanto
e nunca foram tantos elogios quando o resultado final
foi impresso e distribuído aos leitores.
Com prazer e a pedidos, o tão satisfatório esquema tático:
.............................................................

1) O primeiro passo pra rascunhar o info
foi nada menos do que se "tele-transportar" literalmente
pra onde ocorreu o massacre que deu cabo aos cangaceiros.
A Grota de Angicos.
Uma boa foto tirado por Evilázio Bezerra (enviado à Sergipe)
ajudou mais do que bastante!
Segundo alguns guias, a Grota de Angicos tinha uma
profundidade maior. Até um pequeno riacho
passava por perto. Com o tempo, a água secou
e a entrada se cobriu de terra.

2)Aí vêm o rascunho da coisa.
Com os dados precisos, fiz mais ou menos um cenário
onde poderia caber todos os detalhes necessários
pra explicar o ocorrido.
Elementos de antigamente se juntaram a coisas
atuais, pois é mais do que lógico que, naquela época,
algumas árvores nem sequer tinham nascido.

3)Ao mesmo tempo, fiz separamente cada personagem
seguindo à risca o texto. Cangaceiros correndo,
cangaceiros feridos, polícia atirando...

4)Vários fatores estiveram envolvidos na morte de Lampião.
Usei pequenos quadros dentro do próprio infográfico
mostrando cada detalhe disso. Abaixo um rascunho
do Tenente Bezerra (responsável pela tropa que surpreendeu
e deu cabo no bando) e do Pedro de Cândido
(o suposto coiteiro que entregou a localização do esconderijo).
Os dois ícones - garrafa e chapéu - simbolizam
as controvérsias em cima do fato.
A bebida recebida pelos cangaceiros uma noite antes
estaria envenenada, com um suposto furo em cada rolha.
E o chapéu investido representa uma versão absurda
de que Lampião tinha um plano de fuga pra deixar o cangaço,
onde iria a convite de um poderoso coronel
trabalhar no centro do país. Pufo!

6)O info foi todo baseado em elementos do couro.
Cada quadro foi trabalhado com a costura na borda
e desenhos com contrastes que dão uma leve impressão
de que foram desenhados na textura.
7)Baseado em várias fotos originais,
o desenho desse quadro mostra uma espécie
de raio-x da vestimenta dos cangaceiros.

8) O resultado final em um detalhe do info:
Minha instigação era tamanha, que fiz questão de
pesquisar e contribuir no texto desse quadro.
9)Depois fui precisando cada vez mais de elementos e elementos
pra enfeitar o info. Nada melhor do que recorrer
ao rico banco de dados que o fotógrafo Dário Gabriel
trouxe da exposição CANGACEIROS.
Imagens tratadas e prontas pra uso.
10) Onde houve um massacre,
houve sangue, concordam?
Então, criei algumas pequenas "poças básicas"
pra espalhar ao longo do info. Sutílmente, lógico!

11) Aqui tem mais um quadro básico que foi no info.
Dessa vez o foco é mostrar uma cronologia com
os fatos mais importantes da vida de Lampião.
Um mapa estilizado serviu de referência para
mostrar as localização exatas de cada tópico.

12)O resultado final em um detalhe do info:

13) Por fim, uma visão ampla do infográfico pronto,
já com os textos e legendas finais. Luciana Pimenta
me ajudou a diagramar e aprontar tudo com carinho.
14) Um zoom mais centralizado.
15)E, pra fechar,
a capa do caderno especial e algumas páginas
de dentro - tudo criação da Andrea Araujo.
Durante a semana (de 21 à 25 de julho) o caderno
Vida&Arte ainda publicou uma página por dia
aprofundando ainda mais o tema.
Todas + o caderno inteirinho vocês poderão ver no site do Jornal
......................................................................
Depois dessa, eu quero enterrar meus pés na praia
e ficar só gritando:
— Valdirrrrrrrrrr... trás outra gelada que essa derramou!
*"Com caldinho de ostra" - completa Luís Henrique.
Depois de curtir Macaco Bong no Noise 3D, claro!
...
O info foi finalizado ao som de Rage Against the Machine
(Bullet in the Head e Bombtrack),
mais do que óbvio.
Ufa!

7 comentários:

Marquinhos disse...

Cara, quase agente se tromba no show do Macaco... Se não fosse a porra de um cliente aperriado no Eusébio eu teria ído... Mas enfim, puta trabalho do 'caraí'esse infografo... Ta muito massa, mesmo...
Então os Oscar [cachaça da serra] vai para: Guabiras! hehehehehehe

FABIO LIMA disse...

BELO TRAMPO, SEU CABRA!

FABIO LIMA FOTOJORNALISMO disse...

MUITO BOM O TRAMPO. SEU CABRA!

Anônimo disse...

pena que hoje em dia não matam esses filhos da puta assim...

Patrícia disse...

Estudar Lampião (e o cangaço) é sempre fascinante.

Anônimo disse...

Com esse negócio de fazer infográfico, o Guabiras só quer ser o Sérgio Fujuwara.

Anônimo disse...

se o japa do Fujiwara
nascer mais 10 mil vezes,
ainda nao desenha e cria
que nem o Guabas!

comparação bucetha!

Carol