22 de agosto de 2009

Ouro dos Tolos:
Não lembro bem o que eu fazia exatamente
no dia em que morreu Raul Seixas,
mas recordo plenamente de cada porre
que tomei ouvindo - nos idos dos 90 -
suas teorias fudidas em forma de apelo musical.
Era a fase Rock-Raul como todo sangue-bom
bom de ouvido.

Minha favorita era Gita, que eu viajava

querendo entender como ser tantas coisas
extraordinárias ao mesmo tempo, terminando
não sendo nada. Ou seja: o ínício, o fim, o meio.

Hoje acordei ouvindo Raul. Ouvirei ainda muito.
Meu filho Luís Henrique adora
Eu nasci há 10 mil anos atrás e a Lívia, bem,
a Livinha é avessa a nossa Sociedade Alternativa.
Mas gosto sempre de atazaná-la dizendo que ela
é a minha mosca na sopa. ah, ah.

Aí vai minha homenagem aos
20 anos de morte de Raul.
Uma das mentes mais pancadas que já ouvi
na história da música brasileira.

E olha que ela é curtíssima:

2 comentários:

Rafael disse...

Guabiras, Raul é a tua cara mesmo! um mutante abusado, meio rural, meio suburbano...

Mariana Araújo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkk
ficou muuuito bom!
O melhor foi o "se lasca, cachorro!"
hahaha... é amor demais!
hahahahahaha